Conheça sobre a Biblioteca Histórica do Colégio Pedro II e o Projeto “Bibliohope”

Publicado em

Bibliotecária Tatyana Marques, responsável pela Biblioteca Histórica do Colégio Pedro II
Bibliotecária Tatyana Marques, responsável pela Biblioteca Histórica do Colégio Pedro II

Você conhece a Biblioteca Histórica do Colégio Pedro II localizada no primeiro andar do Campus Centro, próximo aos elevadores? Já teve curiosidade de entrar nela e conhecer um pouco da História da instituição e também do Brasil?

A bibliotecária Tatyana Marques, do Centro de Documentação e Memória (CEDOM), atualmente responsável pela Biblioteca Histórica, concedeu uma entrevista para falar sobre a mesma: sobre os desafios e dificuldades como também do projeto “Bibliohope” em parceria com o corpo discente e apoio do Departamento de Sociologia e Ciênciais Sociais. Confira, abaixo, a entrevista:

Conte um pouco da História da Biblioteca Histórica e as obras relevantes ali presentes.

A Biblioteca Histórica corresponde a Biblioteca do Imperial Colégio de Pedro II, sendo fundada no mesmo ano que o Imperial Colégio de Pedro II foi instituído. Sua menção pode ser localizada no Regulamento nº 8, de 31 de janeiro de 1838, que contém vários estatutos para o Colégio. Dentre eles, o artigo 146, que aponta: “Haverá no Colégio uma biblioteca composta de livros escolhidos pelo Reitor, com a aprovação do Ministro do Império” (p. 83).

Constituído por obras raras e/ou preciosas, que refletem a influência humanística na formação do corpo docente e discente do Colégio Pedro II, desde a sua fundação, seu acervo abrange obras de assuntos gerais, nos diversos ramos do conhecimento, sendo grande parte escrita em francês. Além disso, esse acervo reúne, também, livros e periódicos do século XVI ao século XX, perfazendo um total aproximado de 20.000 volumes. Incluem-se aí textos e coleções que fundamentam a educação no Brasil desde o século XIX.

Além da Biblioteca Histórica, estão sob a minha responsabilidade as Coleções Especiais. Estas são constituídas por acervos pessoais doados ao Colégio Pedro II por professores e alunos eminentes. Caracterizam-se por serem obras que não são facilmente adquiridas e que a instituição atribuiu importância na sua manutenção e preservação. Dentre estas coleções, destacam-se: a Biblioteca do Professor Cândido Jucá Filho, a Biblioteca do Professor Haroldo Lisboa da Cunha, a Biblioteca do Professor Roberto Bandeira Accioli, a Biblioteca do Aluno Eminente Hélio Thys e o Centro de Estudos Linguísticos e a Biblioteca Antenor de Veras Nascentes. Perfazem um total aproximado de 20.000 volumes.

Como é a rotina do processo de recuperação e conservação das obras da Biblioteca Histórica?

Não fazemos recuperação das obras porque não é viável. Não temos um laboratório com os instrumentos necessários e nem uma equipe especializada com os conhecimentos indispensáveis para realizar o processo de recuperação. Além disso, há muita confusão com relação aos termos associados à área de preservação de documentos. A preservação é um processo contínuo e inclui várias etapas, desde o gerenciamento administrativo-financeiro até a capacitação dos funcionários para garantir a utilização das técnicas apropriadas para combater a deterioração dos suportes. Já a conservação está associada as ações que garantirão a proteção da informação/documento, neutralizando potenciais fatores de degradação. E é nesse sentido que estamos atuando, na conservação preventiva das coleções, que envolve desde melhorias do meio ambiente e dos meios de armazenagem e proteção das obras até a higienização de todas as coleções. Enquanto a equipe de limpeza do Colégio ajuda a higienizar as estantes e o meio ambiente, eu junto com a voluntária Bruna Ribeiro e a equipe do Núcleo de Documentação e Memória (NUDOM), fazemos a higienização das coleções.

Quais são os desafios deste processo?

Os desafios são muitos, pois, não há recursos humanos suficientes para a realização de todos os procedimentos necessários. Passo muitas horas sozinha e o volume de obras que precisam ser higienizadas giram em torno de 40.000. Tudo fica mais difícil quando estamos sós. Além disso, se não houver infraestrutura adequada, bem como recursos humanos e materiais fica impossível dar melhores condições de guarda e preservação a essas coleções e, consequentemente, organizá-las e torná-las disponíveis à consulta para toda a comunidade escolar/acadêmica que tenha interesse em pesquisar esse vasto e rico conjunto documental.

As bibliotecas e seu conjunto documental constituem patrimônio cultural do Colégio Pedro II. Infelizmente, esses espaços são, muitas vezes, desprovidos de recursos materiais e humanos, o que dificulta o seu pleno funcionamento.

Quais seriam as metas do projeto “Bibliohope”?

Antes de explicarmos as metas, preciso destacar como surgiu o projeto. Um dia eu estava higienizando os livros da coleção especial Roberto Bandeira Accioli e duas alunas da 2ª Série do Ensino Médio entraram na sala e começaram a conversar comigo. Ficaram encantadas com a História da Biblioteca, com o trabalho que eu estava realizando e quiseram me ajudar de alguma forma, uma vez que me viram sozinha e até então, a voluntária que está me auxiliando nesse momento, ainda não havia chegado na instituição. Nesse dia, elas foram até a Direção do campus e conversaram com a Andréa Bandeira Ribeiro (Diretora-Geral) sobre a possibilidade de criarmos um projeto em que os alunos pudessem se envolver para me ajudar na revitalização dessa Biblioteca. Andréa sugeriu que elas conversassem, também, com a Profª. Vera Maria Rodrigues, coordenadora do Centro de Documentação e Memória (CEDOM) na qual a Biblioteca Histórica está subordinada. A reunião foi agendada e assim foi plantada a semente do projeto. A etapa inicial do projeto contou com a colaboração e o apoio do Departamento de Sociologia, através do Prof. Dr. Carlos Eduardo Oliva e da Profª. Dr.ª Silzane Carneiro através dos ciclos de palestras promovidas pelo LAEDH (Laboratório de Educação em Direitos Humanos) e o CEDOM (Centro de Documentação e Memória) do Colégio Pedro II. Duas turmas de 2ª Série e uma da 3ª Série do Ensino Médio foram contempladas com as palestras. O projeto terá início no próximo semestre e contará com a atuação de 20 alunos. Os mesmos participarão de várias etapas: higienização, inventário, organização e armazenamento dos documentos.

Por meio das palestras realizadas, outros 12 alunos já demonstraram interesse e irão participar também do projeto. Quem quiser fazer parte deste “time de guerreiros”, basta procurar as representantes Naara Huziwara e Giovanna Iorio, da turma 1205, ou falar diretamente comigo. Todos são muito bem vindos e o envolvimento da comunidade escolar é de fundamental importância para o sucesso do projeto “Bibliohope”.

A meta do projeto é conscientizar a comunidade escolar de que todo esse patrimônio é nosso, e, sendo nosso, devemos cuidar dessas coleções, garantir que as próximas gerações tenham acesso a elas, uma vez que se constituem em instrumentos educativos que contribuem para o nosso aprendizado, com a nossa formação social.

Abaixo, imagens da Biblioteca Histórica e algumas obras encontradas:

Categorizado em 2019, Entrevistas

Assuntos:

Tema desenvolvido pela Comunicação Social do Colégio Pedro II para WordPress