Peça “Raízes Negras” Discute a Liberdade e a Questão Racial no Campus Centro

Publicado em

Cena da peça "Raízes Negras: onde mora a senhora liberdade, não tem ferro nem feitor" no Salão Nobre do Campus Centro (primeira sessão)
Cena da peça "Raízes Negras: onde mora a senhora liberdade, não tem ferro nem feitor" no Salão Nobre do Campus Centro (primeira sessão)

O Campus Centro, em seu Salão Nobre, recebeu no dia 12 de abril do ano corrente as duas primeiras sessões (às 16h30min e 18h30min) da peça “Raízes Negras: onde mora a senhora liberdade, não tem ferro nem feitor”. A peça é uma realização do Grupo Teatral Tatipirun, coordenado pelo Prof. Tiago Cavalcante da Silva (do Departamento de Português) e composto pelos discentes do 6º Ano do Ensino Fundamental.

A peça é uma obra construída pelos educandos do colégio e homenageia mulheres negras de grande destaque na História do Brasil contemporâneo como Carolina Maria de Jesus, Elza Soares, Marielle Franco, Rafaela Silva e Ruth de Souza, mas também todas as mulheres negras de nossa nação.

O Prof. Tiago Cavalcante da Silva comentou a importância da peça na conjuntura atual. “Esta peça foi construída a partir da vivência dos alunos. Ano passado teve o assassinato da vereadora Marielle Franco, a gente teve uma série de questões relacionadas a negritude (que sempre há), mas que ganharam uma notoriedade maior. E pensando no tema que a gente trabalharia este ano no projeto, os alunos resolveram que falaríamos de racismo e especificamente o racismo contra as mulheres e a violência contra as mulheres negras. Nós não queríamos colocar as mulheres em posição de violência, nós queríamos destacar o empoderamento destas mulheres. Então, os alunos foram pesquisar e a partir desta pesquisa decidimos homenagear uma mulher que representasse uma área. Carolina Maria de Jesus, a Literatura, Elza Soares, a Música, Marielle Franco, a Política, Rafaela Silva, o Esporte e a Ruth de Souza, as Artes Cênicas. A importância da peça neste momento é a gente refletir sobre o racismo que é estrutural e entender a importância das mulheres negras na construção do país. Que traga estas mulheres como protagonistas. E isto foi muito importante para os estudantes, passar da literatura para o teatro, em aprendizado para que eles pudessem entender a questão”, afirmou.

Na segunda-feira, dia 15 de abril, a trupe realizou a última sessão às 10h30min com entrada de um quilo de alimento não-perecível.

Confira alguns momentos do espetáculo:

Categorizado em 2019, Eventos

Assuntos:

Tema desenvolvido pela Comunicação Social do Colégio Pedro II para WordPress