CPII Se Solidariza com o Museu Nacional

Segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Confira abaixo a nota de solidariedade do reitor do Colégio Pedro II, Oscar Halac, sobre o incêndio no Museu Nacional, no dia 2 de setembro:

“O Colégio Pedro II se solidariza com os servidores, estudantes e pesquisadores do Museu Nacional diante da perda irreparável. O ano que deveria ser marcado pela comemoração do Bicentenário do Museu Nacional, será lembrado pela perda, em solo brasileiro, de parte significativa do acervo histórico, arqueológico, antropológico, etnográfico e de história natural do Brasil e do mundo.

Esse prejuízo irreparável não apenas para a sociedade brasileira, mas para a humanidade, reflete a fragilidade da educação patrimonial em nosso país. A Educação Patrimonial refere-se não apenas aos processos educativos, mas também à compreensão sócio-histórica das referências culturais, a sua valorização e, principalmente, a sua preservação.

É necessário que a tragédia consumada, que deixará hiatos na memória da sociedade para gerações futuras, lance luz sobre todas as outras instituições centenárias e a imperiosa necessidade de manutenção de seus prédios históricos e dos valiosos acervos que a sociedade internacional lhes confiou.

Por fim, o Colégio Pedro II presta todo o apoio e se disponibiliza para toda a ajuda possível à comunidade do Museu Nacional”.

Rio de Janeiro, 3 de setembro.

OSCAR HALAC

Reitor pro tempore

O Departamento de Biologia e Ciências do CPII também emitiu nota de pesar. Confira:

“Nós professores e professoras do Departamento de Biologia e Ciências do Colégio Pedro II dolorosamente lamentamos o incêndio que consumiu o Museu Nacional, por tudo que esta instituição representa para nosso país e para o mundo em termos de herança cultural, acervo e espaço de pesquisa passada, presente e futura. É impossível não se indignar frente ao abandono da Ciência, Cultura e Educação em nosso país, eivado de ignorância e a passos largos para um terrível mergulho em uma idade das trevas, onde se ignora o passado, se oblitera o presente e se perde o futuro. Futuro este que poderia ser representado pelos inúmeros estudantes de nossa Instituição que há anos frequentavam o Museu Nacional atuando em Programas de Iniciação Científica, como o PIC Junior.

Frente à perda de uma instituição de 200 anos, que levava em seu bojo 500 anos de história do Brasil, 10.000 anos de história da civilização humana e de milênios de história natural do planeta, hoje, 03 de setembro, Dia do Biólogo, não temos motivos para comemorar”.

Assessoria de Comunicação Social


Imprimir este Post Imprimir este Post

Últimas postagens